28 de setembro de 2010

O CAVALO E A BORBOLETA

Esta é a história de duas criaturas que viviam numa floresta distante, há muitos anos atrás.
Eram elas, um cavalinho e uma borboleta. Na verdade, não tinham praticamente nada em comum, mas em certo momento de suas vidas se aproximaram e criaram um elo.
A borboleta voava por todos os cantos da floresta enfeitando a paisagem, era admirada por meuitos por sua beleza. Já o cavalinho, tinha grandes limitações, não era bicho solto que pudesse viver entregue à natureza. Nele, certa vez, foi colocado um cabresto por alguém que visitou a floresta e a partir daí sua liberdade foi cerceada. A borboleta, no entanto, embora tivesse a amizade de muitos outros animais e a liberdade de voar por toda a floresta, gostava de fazer companhia ao cavalinho, agradava-lhe ficar ao seu lado e não era por pena, era por companheirismo, afeição, dedicação e carinho. Assim, todos os dias, ia visitá-lo e lá chegando levava sempre um coice. O cavalinho dizia que sempre ela o incomodava quando o beijava pousando sobre sua face. Embora ela mudade a posição para pousar sobre ele e levar seu carinho, ainda assim ele reclamava. Ela mudava, se esforçava, mas ele não percebia o carinho que elea tinha por ele. Assim a borboleta optava por esquecer o coice e guardar dentro do seu coração a sua vocação, voar para enfeitar a vida daqueles que a cercavam... Sempre o cavalinho insistia com a borboleta que lhe ajudasse a carregar o seu cabresto por causa do seu enorme peso, mas nunca demonstrou nenhuma gratidão por isso, e prosseguia em maltratar a borboleta. Ela, muito carinhosamente, tentava de todas as formas ajudá-lo, demonstrar que seu amor era verdadeiro, que ela não era mais uma lagarta, mas ele não acreditava.
Os anos se passaram e numa manhã de verão a borboleta não apareceu para visitar o seu companheiro. Ele nem percebeu, preocupado apenas com seus problemas,  em como poderia se livrar do cabresto que o aprisionava. E vieram outras manhãs e mais outras e outras, até que chegou o inverno e o cavalinho sentiu-se só,  finalmente percebeu a ausência da borboleta.
Resolveu então sair do seu canto e procurar por ela.
Caminhou por toda a floresta a observar cada cantinho onde ela poderia ter se escondido e não a encontrou. Cansado se deitou embaixo de uma árvore. Logo em seguida um elefante se aproximou e lhe perguntou quem era ele e o que fazia por ali.
- Eu sou o cavalinho do cabresto e estou a procura de uma borboleta que sumiu.
- Ah, é você então o famoso cavalinho? - Famoso, eu?
- É que eu tive uma grande amiga que me disse que também era sua amiga e falava muito bem de você. Mas afinal, qual borboleta que você está procurando?
- É uma borboleta colorida, alegre, que sobrevoa a floresta todos os dias visitando todos os animais amigos.
_ Nossa, mas era justamente dela que eu estava falando.
Não ficou sabendo? Ela morreu e já faz muito tempo.
- Morreu? Como foi isso? - Dizem que ela conhecia, aqui na floresta, um cavalinho, assim como você e todos os dias quando ela ia visitá-lo, ele dava-lhe um coice.
Ela sempre voltava com marcas horríveis e todos perguntavam a ela quem havia feito aquilo, mas ela jamais contou a ninguém.
Insistíamos muito para saber quem era o autor daquela malvadeza e ela respondia que só ia falar das visitas boas que tinha feito naquela manhã e era aí que ela falava com a maior alegria de você. Nesse momento o cavalinho já estava derramando muitas lágrimas de tristeza e de arrependimento. Disse então o elefante:
- Não chore meu amigo, sei o quanto você deve estar sofrendo.
Ela sempre me disse que você era um grande amigo, mas entenda, foram tantos os coices que ela recebeu desse outro cavalinho, que ela acabou perdendo as asinhas, depois ficou muito doente, triste e sucumbiu e morreu.
- E ela não mandou me chamar nos seus últimos dias? - Não, todos os animais da floresta quiseram lhe avisar, mas ela disse o seguinte: "Não perturbem meu amigo com coisas pequenas, ele tem um grande problema que eu nunca pude ajudá-lo a resolver.
Carrega no seu dorso um cabresto, então será cansativo demais pra ele vir até aqui."
Ás vezes não temos idéia de que o próximo que está ao nosso lado é alguém que Deus enviou para amarmos e também recebermos esse amor. Existem pessoas tão amargas que por serem aprisionadas pelos seus problemas não conseguem ver os milagres do Criador, que faz lagartas virarem borboletas para enfeitar a vida que Ele nos concede á cada dia.



Sobre as águas
 
Comentário muito especial:

Cristão da Universal deixou um novo comentário sobre
a sua postagem "O CAVALO E A BORBOLETA":
Olha, uma história realmente de chorar não é?
A Bíblia nos mostra quantas vezes Deus, se entregou
para viver em comunhão com o homem e sempre foi rejeitado por ele.
Desde os tempos de adão e eva no paraíso até o dia em que diziam:
Precisamos de um Rei... O profeta Samuel furioso e Deus dizendo:
Acalme-se, por que eles não te rejeitam, mas rejeitam a mim.
Ainda bem que Deus não é a borboleta, por que não morreu,
mas enviou seu filho para morrer por nós a fim de quem vivessemos a sua vida e que tivessemos a comunhão tão sonhada por Deus.
Não podemos ser como o cavalinho, não podemos desperdiçar essa chance.

6 comentários:

  1. Olha, uma história realmente de chorar não é? A Bíblia nos mostra quantas vezes Deus, se entregou para viver em comunhão com o homem e sempre foi rejeitado por ele. Desde os tempos de adão e eva no paraíso até o dia em que diziam: Precisamos de um Rei... O profeta Samuel furioso e Deus dizendo: Acalme-se, por que eles não te rejeitam, mas rejeitam a mim.

    Ainda bem que Deus não é a borboleta, por que não morreu, mas enviou seu filho para morrer por nós a fim de quem vivessemos a sua vida e que tivessemos a comunhão tão sonhada por Deus.

    Não podemos ser como o cavalinho, não podemos desperdiçar essa chance.

    ResponderExcluir
  2. Realmente, as vezes os problemas da vida nos impedem de vermos as coisas lindas que Deus nos faz. Como no caso do cavalinho, ele só conseguia sentir o incômodo que o problema do cabresto lhe trazia, e não conseguia enxergar que o amor das pessoas ao seu lado podia amenizar a dor que ele sentia. Linda estória.

    ResponderExcluir
  3. Quantas vezes ja fomos o cavalinho da história, e quantas vezes também ja fomos a borboleta, porém Deus é infinitamente misericordioso, que sempre esta ao nosso lado em todas as situações, nos mostrando quando estamos errando e nos dando a oportunidade de nos concertar, e nos fortalecendo e consolando quando recebemos tantos coices que a dor chega até nossa alma, e o coração fica tão entristecido que somente temos vontade de chorar.

    Vamos refletir mais sobre as pessoas qu estão ao nosso lado, pois podem ser as borboletinhas que Deus tem enviados para nos acampanhar, e nos ajudar a passar por tantas lutas que temos que enfrentar durante nossa jornada,e não devemos machucar tanto essas pessoas, pois um dia assim como a borboleta, mesmo nos amando, elas podem deixar de estar ao nosso, e ai sofreremos com sua falta.

    Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  4. Olá querida,

    Linda mensagem realmente de nos fazer refletir, temos a cada dia oportunidades de demonstrar nossa gratidão e carinho mas chega um determinado momento que se acaba, e quando nos apercebemos disto já é muito tarde a oportunidade se foi.

    Deus abençoe sempre

    beijinho grande

    ResponderExcluir
  5. Sabe...Às vezes,a gente não tem elo nenhum com determinadas pessoas que cruzam nosssas vidas,mas Deus nos dá o momento certo para que cruzemos seus caminhos e,aí,nasce um belíssimo elo fortíssimo,que é difícil a gente desatá-lo, até mesmo sabendo das hostilidades e descasos dos nossos queridos irmãos para conosco.Quem é nascido verdadeiramente do Senhor Jesus,até nota "os coices" dados,sofre,porém releva e segue em frente,porque o elo que Deus nos cedeu nesta vida,é o elo "do para sempre"!

    Grande beijo Isis,Deus a bençoe com infinitas sabedorias!

    Na Fé!

    ResponderExcluir
  6. Todas as vezes que olharmos para uma pessoa como almas certamente vão ter sede de ajudá-la, não importa seus defeitos ou qualidades, e mais ainda os defeitos, pois o ser humano tende mais a se voltar para o mal que para o bem. “Se os teus olhos são bons, todo o teu corpo será iluminado”.
    Os erros são marcas de uma aprendizagem, pois ninguém nasceu sabendo, nem mesmo o cavalinho. Pois seguro por muitos anos teve seus dias de glória, mas cada um de nós tem o dia mau e cabe a nós vigiarmos para não precisar chegar e passar por ele.
    Ainda assim passando, o amor de Deus cobre todas as nossas fraquezas e nos faz levantar do mais profundo abismo. E seguramente no nosso caminho encontraremos pessoas que amam as almas e cuidará da nossa como aquela borboletinha, onde ao invés de receber gratidão passou também a sua experiência. Não podemos desistir das pessoas, mas alcançá-la para se em algum momento ela errar ter o próximo como seu acolhedor e motivador de ensinamentos do bem.
    Seguramente a borboletinha foi em paz, fez a sua parte ate a última gota e não desistiu do amor que lhe foi concedido como dom. O cavalinho também aprendeu a lição pelo excelente testemunho da borboletinha que não desistiu dele.
    E cabe a nós cristãos amar intensamente todos que estão em nossa volta, pois não estamos cuidando de almas viventes (respeitamos a natureza), porem cuidamos de almas vivificantes e essas precisam alcançar o reino de Deus dia a dia, e principalmente nas suas necessidades.

    ResponderExcluir

Compartilhe o que você achou dessa postagem: